sexta-feira, novembro 11, 2005

Na América I

Meu querido diário:

Confesso-te a minha relação difícil com os taxistas.
Isto vem do tempo em que morava nos Olivais.
Chegava de longe... por vezes em directa...
É pro Olivais... já com um certo receio... suplicando.
Se a resposta era a simpatia, respondia eu com um triplo pagamento.
E uma anedota a condizer, só para abrilhantar a situação... tal a felicidade pela excepção.
De contrario, nem mais um tostão pás colónias, e claro um pontapé na porta seguido
de todos os impropérios devidos à ocasião.

Alex, antigo músico na sua terra natal na antiga U.R.S.S. (ah! Apanhei-te a cantar o hino),
actual taxidraivista em N.Y. desajeitado e desonrientado apesar dos três anos já ali.
Quando lhe disse que os “timberland” tinham custado apenas 40,00 us money,
o homem vocifera um arafatiano e perceptível protesto:
Faque man!!
Fiodia-se!!
Look... made in Italy. 160.00 dioliaries.
Enquanto diz tal, tunga!
Saca do sapato para mostrar a etiqueta.
De imediato abro um bocadinho a janela sem ferir a susceptível nausea…
Compreendi-te!
Vascosantaniei.

Leve-me ao Bairro já agora.

1 comentário:

um estranho disse...

Com um nome desses olha que o mais provavel era ser boa pessoa.

Coitado ...