segunda-feira, janeiro 02, 2006

Águas de Janeiro
















Aguenta-te meu amigo Quase:
Entro no meu verão,
naqueles dias de vadiagem pelo tempo.
Assumo-te a contradita:
Gosto que a água do meu janeiro,
seja gelada e fria.
O teu inverno é o meu céu.
Lá vou para a montanha!
Que Deus me veja e não dê por mim.

Barcelona, apresenta-se assim como a cidade ideal.
O mar.
A montanha.
Que sorte!
Inveja-te Lisboa!
Põe-te bonita!
Arranja-te!
Deviamos lutar mais por Barcelona,
descendentes sem fronteiras,
observamos tudo e tudo que
no sangue ibérico desagua em nós.
Até achamos graça!

A água de rosas cheira por todo o meu lado.
Minha mãe, besuntava-nos logo pela manhã.
Quando levantava o sol, entrava por um lago absolutamente gelado.
Passava dos trinta e muitos, directamente para um quase gelo.

Nunca mais parei.

1 comentário:

A.na disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.