domingo, setembro 10, 2006

De ti nunca fugi

Meu Querido Amigo

Já me habituei ao teu silêncio.
Afinal, a tua sabedoria aconselha à ponderação.
A sensatez.
É a quente, quase sempre que te escrevo,
De coração na mão e de espada em punho.
Tunga!
Diz... escuto... sim...
Tens razão.

Dias atrás, passei pela minha cidade natal,
a Covilhã, que Deus a tenha.
Não existe alternativa:
A subir, a descer.
Sempre que te escrevo, torno à infância.
Subitamente, a liberdade!
Gente dura, boa gente.
As mulheres mais bonitas até hoje vistas a olho nu.
A costela Judia faz o sentido de humor
mais terrível e avassalador.
Bela terra a minha terra.
Não há Pai!

Cuidado com os lacraus!
Não ponhas os pés nas giestas... as víboras.
Aprende-se muito na Serra.
Quando volto à Covilhã,
Tenho a estranha sensação,
de lá, nunca ter saído.

Aprendi contigo uma grande lição:
- Não tenhas medo!

Devo-te muito!

9 comentários:

Arrebenta disse...

Já vou pôr o "link" para aqui. Venham mais petições :-)

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Fizeste-me ter saudades de minha terra e ainda há pouco a deixei. É sempre aquele lugar não é?
Eu fui mordida, picada por um lacrau...é terrivel digo-te...foge deles...ehehe
beijo

Mariana Matos disse...

bonito o teu texto.

Alex disse...

Eu gosto muito da Serra e das Gentes da Serra. Fiz lá um amigo muito especial, chama-se Manel, é de Alvoco da Serra e tem um coração como o teu: GRANDE!

Se um dia passares por lá, vai conhecê-lo e manda-lhe um abraço meu.

Boa semana Joao.

kikas disse...

Um amigo não tem tamanho, mas cada em qualquer lado do coração.
Bonito texto

mni disse...

Alcancei ontem a Covilhã e a Serra com os olhos e com o sentimento, por paragens muito próximas! tb volto sempre.

(Está um link do meu espaço para o teu.)

Abraço

João Filipe Ferreira disse...

Parabens pelo Blog
um abraço

mni disse...

João,

ensinas-me a fazer -assine aqui a petição- de maneira a que -aqui- funcione?!

beijo.

vitoria disse...

Que bom ouvir coisas assim sobre a Covilhã. Pensava eu q ficava sempre qq coisa de amargo em quem se foi embora... como se o espirito da cidade mostrasse o seu lado mais negro para deixar uma marca indelevel.
Obrigada.