sábado, setembro 02, 2006

Um Abraço e uma Achega

Aos amigos que muito estimo e considero,
que mantêm a indecisão de assinar,
quero dizer-lhes muito claramente que para além
da discussão aberta desta questão, tenho como ideia central
da petição, um objectivo muito claro:
Evitar que as R.E.N. (Reserva Ecológica Nacional) e
as R.A.N. (Reserva Agrícola Nacional)
se transformem, por artes mágicas do fogo,
em terrenos para a plantação de gruas e árvores de betão

Fica à vossa consideração.

7 comentários:

Nuno Carvalho disse...

Olá João, aproveitei o meu blog para espalhar a tua ideia da petição dos incêndios.
http://recantosdeportugal.blogspot.com

Dulcineia disse...

Olá amigo da beira.Soube que regressou ás origens e logo eu estava de férias...estou mesmo tristita...ainda não foi desta que lhe fiz a entrevista pela qual espero há meses.Quanto aos incêndios e à petição,subscrevo por inteiro a iniciativa e vou divulgá-la.
Um abraço do Fundão para a Covilhã...melhor...para o querido João Gil.

Sílvia disse...

Olá, João.
Também eu tenho as minhas dúvidas. Não por achar que as nossas florestas estão bem assim (é óbvio que algo tem que ser feito), mas por desconhecer as consequências exactas da aprovação desta proposta, ou seja, os danos colaterais.
No entanto, penso que algo tem que ser feito para acabar com o flagelo dos incêndios que, ano após ano, vão consumindo as poucas florestas que nos restam. Se esta petição conseguir "incendiar" mentes, provovar uma discussão pública sobre o assunto da qual advenham sugestões sérias para uma solução e, acima de tudo, obrigar os deputados da Nação a discutirem seriamente o assunto em vez de empurrarem responsabilidades uns para os outros, já terá valido a pena.
Por isso, peço a quem tem as mesmas dúvidas que eu que assine pelo menos para que o assunto possa ser levado a discussão na Assembleia da República.
Bem-hajas, João, por não teres medo de assumir publicamente posições incómodas (uma coragem que falta à maioria das figuras públicas deste país).

A. disse...

"...começam a fazer sentido as
palavras...
"vers laquelle on se hâte lentement."
Apressamo-nos,de facto...mas lentamente."






Lá vai crescendo...como uma
criança com vontade de
Ser Grande.

Mónica disse...

mágicas ou será que já magicas outra petição?

lince disse...

Já conto!!!

Patrícia disse...

Claro e coerente.

Não hesitei em assinar, porque não me surgiram quaisquer pontos de interrogação. Parece-me absolutamente necessário tentar travar a desflorestação, com as armas mais limpas que encontrarmos para o fazer.