segunda-feira, agosto 29, 2005

This is cnn

Acabadinho de chegar, com os dedinhos em riste, mortinho por desassossegar, inquieto como de costume.
- Isto é um vício!
depois de um fim de semana em estrada, com S. Martinho do Porto como passagem para mais um escaldão.
- Amigos que nascem nas areias não se enterram no Verão, nem acabam com Agosto!
Podia ser uma canção, fraquita, cheia de frases batidas, chapa gasta. É melhor não, e além disso, os amigos devem ser protegidos.
Se calhar, em Inglês soava bem e... não machucava o pergaminho.
- Voltarei no Inverno, em pleno nevoeiro, nem que seja noutra dimensão, noutro tempo, nas rua dos cafés, antes do betão...

Na rádio ouve-se acerca da chegada do furacão a New Orleans. Abro a porta de casa, pouso a mala, e...
vou a correr para a CNN, ver a cena:
Carros em fuga na autoestrada, e o Larry King de suspensórios em suspense, ponderado mas algo grave, fala com o repórter na zona.
Macacos me mordam, mas há aqui qualquer coisa de espectáculo especulativo.
O que irá acontecer? Pergunta-se.
Zapingo pelos canais de Portugal e nada... estranho! Ok, os directores também fazem safaris.
A sério, estou a brincar.
AH! SIC Notícias. Boa !
Impressionante. Algo de estranho acontece no planeta Terra. As tragédias são distribuídas meticulosamente.
Por todos. Por Deus. Só pode!
Por mim, punha o Katrina lá para os lados do Katrino, a fazer estragos nas aves que andam constipadas, e deixava o povo da Nova Orleães em paz, a dedilhar a bela da sua música em baloiços, debaixo dos telheiros das casas de madeira que vemos nos filmes, mas não mando.
Admirável o que Americanos fazem para se protegerem.
Nem tudo é mau concerteza.
Vou para intervalo.
Volto já.

6 comentários:

André disse...

São Martinho do Porto. A casa velha perto do Facho. Muitos vizinhos recentes, tristes sinais da chegada do betão à falésia norte. A vista para a baía e para a costa velada pelo insistente nevoeiro. O som das buzinas do farol. Também por lá andei todo este fim de semana.
Evito a vila em Agosto, deixo-me ficar lá por cima. Talvez uma ida à noite até à rua dos cafés, para pôr conversas em dia. Um abraço sr João.

Vera Cymbron disse...

Portugal deveria tentar ser um bocadinho mais capaz e pelo menos nas coisas da protecção cívil copiar os americanos...Infelizmente, os homens das cadeiras mais altas deste nosso país sabem apenas imitar as vontades de guerrinhas estupidas e sem sentido.
Volto depois do intervalo.
Cumprimentos.

soniaq disse...

O furacão "Katrina" já anda mais manso, grau 2. (por que raio todos os furacões têm nome de mulher???).
bjinho
sona

Gravito disse...

sou um amigo de um A4 POP ROCK e eles vao fazer um concerto com a FILARMONICA! gostava de saber a k horas e local! alguem sabe??? http://www.a4-poprock.com/agenda.htm

Mariana Matos disse...

Admirável mundo [ velho ].

A.P. disse...

Notei algumas (muitas) diferenças entre os discursos dos europeus que sofreram com as monstruosas cheias e dos americanos que agora tudo perderam e os discursos dos portugueses afectados pelos incêndios... Dá o que pensar...

P.S.-Realmente pq será? mulher=furacão???