sexta-feira, agosto 26, 2005

A Senhora de certa idade

Ontem, numa das tasquinhas ao pé daqui de minha casa, depois de mandibular um bacalhauzito singelo,
peço um café, ponho os oculos que me dão sempre alguma credibilidade, abro o jornal pelo sítio do costume,
vou para ler, nisto toca o telefone, e ouço o seguinte diálogo:
- Olá minha senhora como está, há quanto temmmmmmpo? Boazinha?
Aqui, pelo timbre e pelo mimo, entendi, do lado de lá, alguém de certa idade.
- Siiiim...já sabe. É o costume: os bifinhos, o bacalhau, o cozidinho,
A boa da senhora perguntava a ementa para ganhar o tempo da escolha.
- Sim sim. Está muito bem...claro, um caldinho do cozido também.
A senhora de certa idade tinha-se decidido pelo cozido à Portuguesa.
Desliga o auscultador do telefone preto, vira-se para a cozinheira e diz bem alto:
- Pensava que esta já estava morta!
Resposta da cozinha:
- O quê, ainda está viva?
Faço sinal com os dedos para pagar e...
- É a continha é ?
Abanei com a cabeça, boquiaberto ...

Não me consigo abstrair deste episódio.


Vasco Gil

7 comentários:

um estranho disse...

Adoro essas "tasquinhas" assim. é onde se come melhor, às vezes, e há calor humano.

Tem um balcão de pedra?

Caxolinha disse...

Tadinha da Sra, na volta, ainda tem saúde pra dar e vender!!
A capital é uma aldeia grande.
E sitios há, em que é, como nos meios pequenos, sabe-se da vida de toda a gente.
É como aqui na terrinha, as pessoas aumentam as coisas de uma ponta à outra da terra.
Saudações beirãs. ;)

João Garcia Barreto disse...

Caro João Gil:

É com muito agrado que visito este espaço que criou. Aprecio imenso as canções que compõe. Se algum dia tiver tempo, visite o meu "Refúgio". http://www.ensejo.blogspot.com

João Garcia Barreto

Mariana Matos disse...

um episódio à portuguesa. ;)

Mariana Matos disse...

E não é que agora também não me consigo abstrair da história...

sónia disse...

Não sei se ria ou chore! ;)

soniaq disse...

Folgo em saber que continuas de boa saúde, assim como a dita Senhora. Esta história deu-me logo para pensar num policial... depois explico. :-))
sona