quinta-feira, outubro 20, 2005

O senhor delicado e sorridente

Querido incondicional diário:
Antes de ontem, enquanto respirava o meu primeiro da série café,
dirigiu-se a mim um delicado e sorridente senhor, que me confidenciou coisas da sua má sorte, por um linfoma sofrer. Transmitiu a sua enorme confiança, por acreditar que o espírito de sacrifício e o endurance, encontrados no atletismo ao longo de sua vida, eram agora fundamentais no combate à sua estúpida doença.
Sabe?

Ouvi tudo tudo, sem nunca largar os olhos dos olhos daquele senhor delicado, que viu em mim, alguém a quem podia dizer algo de si, e mais que o bom dia de cada dia.

Hoje, precisamente à mesma hora, balneário adentro o senhor com um sorriso de enorme generosidade:
- Sabe João, recebi os resultados da quimio, e desapareceu tudo. Não se encontraram sinais.
- Era sá para lhe dizer isto...
- Fico feliz por si. Devolvi-lhe o sorriso sem nunca lhe tirar os olhos da frente.

Entrou pela minha porta, sentou-se, falou, levantou-se e saíu por outra, deixando ficar um lastro de sua felicidade.

Hoje seguramente terá sido um dos dias mais felizes da vida daquele senhor.
- Volte sempre.

9 comentários:

um estranho disse...

Bonito.
E reflete tantas historias reais que se espalham por aí.

Já reparaste João que é o que a maioria de nós faz pelas redes da blogosfera? Desabafamos contra um ecran negro ou colorido, falamos de nós a desconhecidos, inspiramos com força e damos o que temos de melhor, de pior, de nós. Chegamos ao ponto de encorajar quem precisa, damos um mimo aqui outro ali, ouvimos historias, historias lindas, historias tristes de gente solitária (não gente só fisicamente).

Tenho dias em que me embrulho de tal maneira nessas historias que mesmo depois do OFF ficam comigo.

Que nome damos a isto?
Que impacto é este? Que poder é este que exercemos sobre os outros?

Deixa.
É um daqueles dias.

Deves ser um bom ouvinte, quem olha nos olhos e não nos perde os olhos enquanto falamos é um ouvinte e peras!

Uma noite feliz para ti,
para todos!

Elora disse...

Também eu fiquei a sorrir quando li hoje o teu diário.

Elora disse...

O comentário anterior teve um sabor estranho. Nunca me tinha imaginado a ler o diário de alguém e afinal leio vários, diariamente...

A.na disse...

Vês?
Tudo menos banal...
dias de humanos cuidados,
dias de delicados sorrisos,
dias de noblíssimas visões...

Há sempre volta quando
olhamos e deixamos que
nos reparem os olhos!

Dia bonito...obg!

Dungo disse...

Fantástico meu amigo, fantástico!

nascitura disse...

Situações dessas podem acontecer todos os dias com qualquer pessoa. Basta que essa pessoa esteja atenta às emoções que habitam o mundo.
Já me aconteceu várias vezes e a sensação com que fico é que, para além de ter produzido felicidade, acabo por preencher um espaço vazio que existia em mim (pelo menos por algumas horas).
Não sei bem quem ganha mais com este tipo de partilha. Talvez a balança fique equilibrada.

Ana Abreu disse...

Gostei mto do teu blog. E este post é mto bonito, obrigada por teres partilhado esta experiência.

Bjs

Zelia M Evora disse...

Ás vezes precisamos ser lembrados que somos uns felizardos... Estar vivos! Estar vivos!

A.P. disse...

Por vezes um pequeno gesto, um segundo de atenção, um sorriso, um olhar, pode fazer toda a diferença.
Hoje em dia cada vez é mais raro encontrar alguém que nos fale "Olhos nos Olhos"...
-Volta Sempre.