terça-feira, outubro 18, 2005

Um abraço na chuva

Querido Amigo Diário:
Estamos aí.
Tenho de te confessar que já tinha saudades da manhã agreste.
Os pinheiros, o entulho orgânico, a terra, os galhos, a lama, os charcos, eu...
Oh, como deve ser bom abraçar-te à chuva!!

Gosto dos olhos de Isabel Silvestre.
Ensaio com ela "Ao Sul" em plena tarde de Lisboa.
Oh, como é bonito o ruído da cidade que entra pela janela!!

Janto ao som do Sr. Ministro das Finanças, que se desenrasca às perguntas bem formuladas de José R. dos Santos.
Oh, como vão ser os nossos dias!!

Vou ao C.C.B. ver um grupo de bailarinas que manuseia a barriga ao som da derbuca.
ÓÓ, tenho a certeza do voltar a elas, no desenrolar do sonho.

Ainda chego a tempo de te contar estas coisas banais.
Já viste?

Vá! Recebe um abraço.

Não te faças difícil.


Sam Hall

7 comentários:

A.na disse...

-Olha,
sabes que é bom
correr á chuva?
-Só sei que é bom imaginar...
...ás segundas
e só em mão própria...

Fica o meu
mais humano,
disforme e terno...
na lama do charco!!

Jornalistas Independentes disse...

porque na janela a chuva tem poemas molhados pela manhã de outono, aquele abraço nosso deste lado da blogosfera

um estranho disse...

Os olhos e um sorriso lindo

M disse...

Um bom dia no meio de tudo parece-me um bom dia, com desejos de abraços românticos, com o país real sempre a pressionar, culminando com as melhores bailarinas do mundo da dança do ventre que animam qualquer homem!
Caro João parece-me que os seus dias são felizes!

M disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
A.P. disse...

Dançar à chuva,
Sem barulho,
Sem luzes...
Só o breu da noite,
Tu e eu,
E o suave bater
Das gotas quentes
no chão molhado.

A.na disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.