sábado, dezembro 10, 2005

Ecos do deserto

Meu querido diário do deserto:
Só de pensar no assunto que te trago, imagino-te de colete tapioca falando aos solavancos para um videofone.
Em pleno 11 de Setembro fiz uma aposta ao que tudo indica: perdi!
Certo que ainda não paguei o jantar aos meus queridos amigos Ricardo Machaqueiro
e Henrique Cayatte, com quem tive o prazer de discutir, acidamente, a ideia que a China transgredia cobardemente contra os States. Pura especulação, talvez... imaginando que um possível conflito, no futuro, tivesse ali a sua primeira simulação.
Pronto, a coisa já me passou, embora...

Quando estoiraram as primeiras bombas em Bagdad, e depois de tudo o que veio a acontecer, disse para uns amigos meus que habitualmente desconfiam de mim:
-Atenção pessoal!
Isto tem a ver com o Irão.
O Iraque é apenas o pretexto para os americanos se fixarem na região.
- Lá estás tu e a tua mania da conspiração permanente...

Vieram as luas e as monções, os ventos e as marés, o grande espírito de Mao assomou à janela e teceu as considerações sobre o novo mundo... e eu, pobre tuga práqui no meu canto luso, acreditando que as ameaças do senhor da gola alta que do alto do seu Irão ameaça até mais não...
Reflito na minha varandinha:
-Isto traz água no bico.
Os homens da gola alta já têm a bomba.
Não, não é a Fernanda Serrano, seus básicos incultos!

A ver vamos.

4 comentários:

nascitura disse...

sempre que soa a palavra
bomba atómica
o nosso velho Einstein
dá uma voltinha no túmulo
e diz:
- maldita hora...a da fórmula

AMÉN

KIM PRISU disse...

Um pequeno passeio pelas palavras.
bom dia

um estranho disse...

Sei que não deves ser apreciador deste tipo de coisas mas não resisto a dizer-te que deves ser bom em jogos de estratégia.

Jogando por antecipação e aquele instinto para as conspirações.

Bem, também nunca te imaginei sentado em frente a um ecran e a escrever num blog :)

Quem sabe.
Um dia destes desafio-te para um jogo desses, a teoria da conspiração em tempo de guerra. Não acreditas?

António_Pinto_de_Mesquita disse...

Boas,
O Irão já esteve mais perto de estar em segurança, a sorte deles é a guerra do Iraque não acabar, quando acabar , vão ter que arranjar uma desculpa como as armas de destruição maciça para atacara o proximo, talvez até o Irão.