segunda-feira, janeiro 30, 2006

7 beijos













Meu Querido Amigo:

A vida continua orgânica tal como nos foi dada a conhecer.

Uma bola parada

Um gesto provocatório

Um floco em Lisboa

Uma cidade recolhida

Uma criança salva

Uma boa notícia

Um café com vista

Um beijo de relance

Um olhar penetrante

Um frio de rachar

Um copo de vinho

Um mau resultado

Um cheiro de mar

Uma noite devida

Uma ideia feita

Um beijo

12 comentários:

nascitura disse...

uma boa ideia
um coração XL
um novo dia
uma nova maré

A.P. disse...

Um amanhecer gelado
Uma nova semana
Uma recordação
Uma enorme saudade
Um suspiro
Um abraço... daqueles

Ana disse...

um dia triste
uma noite mal dormida
um dia mais
um dia menos
uma vida pela frente

um,um não
um milhão de beijos

Ana pend

aurora disse...

É pau
É pedra
É o fim do caminho...

blue note disse...

Oito...

Norte disse...

E mais um.......

Lyra disse...

um. apenas um. cheio de palavras. há beijos cheios de palavras. (um mau resultado! pois! mau mesmo mau )

Sílvia disse...

Neve, beijos, mar... lá estás tu a despertar-me o pecado da inveja! Queres condenar-me ao Inferno?
Que saudades dos tempos em que vivia perto do mar!...
Não vi a neve, mas resolvi fabricá-la e oferecê-la no meu blog a quem a quiser ver. Isso faz-me sentir poderosa.
Os beijos... ah, pois, os beijos... um por cada lua, dizes tu? És um sortudo! As minhas luas não testemunham beijos, apenas saudade. Muita.

lena disse...

entrei, para me acolher do frio que se faz sentir e aqueci-me na tuas palavras

um dia brinquei com um beijo:

"Um beijo por extenso

achei e gravei-o por extenso
aqui bem perto
um beijo sem condição
expendi-o no teu regaço
para te olhar
nos olhos bem no fundo
entrar na tua alma
e nela sentir o conforto
sentir um desejo
de o levares
ser único e inebriar-te
com um encanto que te seduzisse
por extenso
e em transparência
aquecido ao rubro
por seres parte
de um pensamento inusitado
numa hipótese amarrotada"

(l.maltez)


gostei de te visitar e voltarei

beijinhos meus

lena

Caminhante disse...

Pela primeira vez aqui, os meus parabéns em tons de azul...valeu a pena ler!

Mariana Matos disse...

A vida
Um risco no Tejo
a água do mar em velocidade
o nítido nulo ( de Vergílio Ferreira)
a asa que fica
a pena que voa
a palavra que pontua
o Á que agudiza
o grave do tom.
O comentário esboçado
com cedilha por assento.
O vento acentuado nos cabelos.
A haste dos óculos.
A meia conversa.
A balada nervosa.
O mar no balde.
A pá. A Toalha.
A praia fechada.
Os traços do ar.
A noite.
A manhã.
A chuva. A chuva por dentro dos versos.
Dizer que sim ao contrário...

um estranho disse...

O instinto da sobrevivência.