sábado, fevereiro 18, 2006

A muda mudança muda?

Estimado


Sorrateiramente e como quem não quer,
o DNA finou-se.
Tinhas dado por isso?
Pois...
Mudar, tem de se mudar, fazer qualquer coisa,
mudar apenas, aparecer com outra cara,
Rejuvenescer?
Não creio.
Passou-me ao lado a justificação, se é que foi dada.
De quem é o DN?
Quem são?
Não interessa.
Olha Quase, já me convenci que nos dias que correm,
a mudança só por si, passou a ser um acontecimento,
um facto em si mesma.
Fica-se mudo de tanta mudança Meu Deus!!!
Sim, serei sempre naifezito...
Nas tintas.
Quando as coisas mudam para pior manifestamente...
Era caro fazer o DNA?
Cansaço?
Sei que um dia um amigo dirá algo que assente na mão
como a defesa pela luva de Ricardo.
Para mim, já perderam.
Já não compro o DN à sexta.
Também, quem se irá importar.

E tu Quase, estás sempre na mesma.
Vais ficar quieto?

7 comentários:

Mariana Matos disse...

O Quase deve estar quase, quase a falar! ;)

A.na disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
blue note disse...

Gosto quando nos fazes pensar... e fazes tantas vezes.

a resposta é muda...

Beijo grande

Lyra disse...

o mundo é composto de mudança João. crescemos com ela, aprendemos com ela, infelizmente creio que nos tornamos mais "asperos" tambem. as mudanças sejam boas ou más fazem-nos perder a inocencia e isso é que é triste. um beijo. (eu ja não comprava o DN mesmo! :) )

Bombokita disse...

Gosto tanto do teu Quase...
Será que é o teu Quase que tem o que mais se aproxima do teu DNA...
Bem, não sei nada acerca de códigos genéticos... Só sei que o teu não está a envelhecer o teu talento, esse está cada vez mais novo e apurado. Foi uma luvada de oxigénio aquela hora de ontem na RFM. Que saudades!!! Fica com Deus, que o teu livro de cancões seja um sucesso, e que de vez em quando nos matem estas saudades do futuro. Continua sempre a escrever grandes canções para a BSO da nossa vida. Um beijo grande,

125_azul disse...

mesmo que outros dna murchem como os cravos que já passaram, está no teu dna esse compromisso eterno de nos fazer pensar enquanto te indignas docemente.

um estranho disse...

Secalhar um dia destes, rompe por aí e aparece de novo. Com melhor qualidade, com mais variedade e com brinde na capa forrada a plástico.