sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Subir ao fundo

Meu estimado

Volto à montanha.
Talvez perceba um dia
porque voo tantas vezes em sonhos
de janela em janela
pelos beirais das casas de Lisboa.

Entendo o João Garcia.

A tentação de subir ao fundo do abismo.

O perigo de morrer ao fugir dela.

A gravidade em movimento ascendente.

Apressadamente!

Somos seres estranhos, nós os humanos.

Donde vimos?

12 comentários:

Mariana disse...

Estás no Pico? ;)

um estranho disse...

Também ía ...
Vai haver muita neve este fim de semana. Faz boa viagem João. Se puderes, traz-nos um bocadinho :-)


As conversas na RFM foram giras, deve ter sido uma tarde excelente de recordações. A amizade é uma coisa muito bonita, a Vossa Amizade.

A.P. disse...

Boa viagem no comboio dos teus sonhos.

blue note disse...

O regresso às origens...

Beijo para ti

soniaq disse...

Donde vimos?
Para poder regressar, de vez em quando a casa, sabia bem.

beijinho

Aleisa disse...

Não sei como vim aqui parar (aqui blog) mas ja me doi a vista de tanto que li... e se me perdi por aqui é porque o que escreves é simplesmente fantástico...
Fazes-me rir... e é sempre muito bom quando alguem me faz rir... com toda a seriedade...
Mas o que me conquistou mesmo no meio disto tudo foi o Quase... Gostei verdadeiramente do Quase...

;)

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Não sei de onde vimos, mas adoraria agora, voltar à montanha.

Gostei muito deste post... a imagem dos beirais de Lisboa também me agrada.

É sempre simpático passear por aqui. Obrigada

soniaq disse...

Olá e bom dia

Voltei a Fevereiro para te dizer que quero apresentar uma reclamação, aqui vai: Onde está a cx dos comentários??

Ficas tão distante assim, ao menos deixa um endereço de e-mail para a gente dizer parvoeiras a ti... :-(((

beijinho e espero que recebas este comentário.

Mariana Matos disse...

Também apresento a mesma reclamação!!! Já n podemos comentar nada!!!!!!!!
:((
Espero tb que voltes a Fevereiro.

Bruxinha disse...

João, o comment que te faço é me ralação ao teu último post, "Os Criminosos". Como não dá para deixar comment lá, tive que procurar onde dava.
Tenho a sorte de não ver a minha vida a ser vasculhada como se de "lixo" ou "algo podre" se trate, algo que dê lucro para alguns. E isso foi um dos motivos porque não tirei jornalismo. Acho vergonhoso esse modo de trabalho.
Com toda a sinceridade, gosto muito mais do primeiro título que lhe deste.

Beijokas e segue em frente

Bruxinha disse...

João, isto de não podermos deixar comment no post correcto é 1 bocadinho manhoso. lol
Gostei da mudança do título "Crimonosos ou filhos da puta?". Deixa ao critério de cada um.
Mas agora quero deixar comment em relação ao "Onde me sento".
Simplesmente, lindo. Consegues dizer aquilo que sinto muitas vezes e não o consigo dizer. Por um lado, porque às vezes há o receio, por outro existe a frontalidade que não permite dizer as coisas de um modo muito "floreado", contornando a questão de um modo diferente. É mais do género, sim ou sopas, ou é ou não é.
Beijos à socapa...
Só não ponho esse texto no meu blog, porque senão começam a ser muitos plágios. A não ser que permitas que o faça. ;)
Vai escrevendo mais que eu vou lendo. Vê é se pões a definição de comments, para os poder deixar no sítio certo.

Beijokas

Bruxinha disse...

O que eu me ri com o teu último post...
É que apesar de não andar em mudanças, vou começar com obras lá em casa e sei bem o que é empacotar as coisas e rasgar papéis.
O fardo fica cada vez mais leve e ainda bem. Tenho chegado à conclusão que guardo imensas tralhas ao longo dos anos e elas não fazem falta nenhuma, a grande maioria das vezes.

Ah!! Gostei muito de te conhecer e poder privar um pouco contigo.

Beijokas