domingo, março 05, 2006

A vertigem

Estou de volta meu amigo Q.
Confio-te algumas das palavras que a mim sorriram,
apanhadas do céu mais à mão:


Cintilas meu amor
Voo mais alto
Voo mais perto
Na tua vertigem
No teu mais fundo
Eu

Agarro-te
Apanho-te
Seguro-te

Não fujas antes que o sol te encubra
Não te escondas meu amor
que a noite mata-me só
e não tarda a ser dia

19 comentários:

mni disse...

ai, João!

João Gil disse...

Caríssimo amigo Sr Galvão
Este é o ultimo comentário que faço a um comentário seu.
Todo o tipo de opiniôes que expresso neste jornal, são da minha inteira responsabilidade.
Responderei por elas sempre que necessário.
Todo o tipo de expressão artística reflete apenas a capacidade de o fazer.
Como lhe pode passar pela cabeça que um poema seja igual à devassa da minha vida privada,
Jamais!
Nunca Sr, Galvão.
O Senhor nunca hã~de conhecer a minha vida privada, por aqui ou por outro lado.
Então o Sr Galvão acha que o fingimento e a ficção poetica não existem.
Muito berm!
Não lhe escondo a minha irritação Sr Galvão.
A Net é um risco,
Um homem escrevre para o mundo, exteriorizando opiniões e farsas e nesse mundo existe um homem que
é você.
Isto não é o jornal 24h, e eu não sou uma celebridade Sr Galvão, de contrario o sr saberia a minha idade e tudo o resto.
Sim, sempre me resguardei como gente madura.
Eu não tinha de lhe responder,
Mas, é mais forte.
Sinceramente J;Gil

papu disse...

O sr Galvão deve ser daqueles velhos (de espírito)que acham que os sentimentos, e a sua expressão e vivência, só são direito dos 50 para baixo!

Francamente, sr Galvão!
A si é que lhe fica mal, estar a meter-se desta maneira na poesia de uma pessoa sensível como o João.

É o quê, inveja?
Não tem mais nada para fazer? Com que passar o tempo?

Desculpa, João. Já aqui venho há una tempos, nunca tinha comentado, também não tenho nada a ver com o assunto... mas olha, foi como tu: foi mais forte que eu.

Um abraço

A.na disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Aleisa disse...

É certo que eu já tenho um rótulo, vitalício, de doida… Mas sinceramente a idiotia fascina-me… Há lá coisa mais aprazível do que ver um idiota tentar sobressair à custa da paciência de alguém, e ainda por cima com a certeza que é o maior!?!?!!? E é de certo o maior… o maior comediante, (penso que ninguém tem dúvidas que maior não implica melhor…nem o comediante tem obrigatoriamente que ser de qualidade…)
A mim o idiota não me incomoda, pelo contrário, enche-me de boa disposição, faz-me rir às gargalhadas… já não acho piada a anedotas racistas, nem futebolísticas… nem regionalistas… nem o diabo a quatro… Agora gosto mesmo de rir é do idiota…

Já disse Alexandre O'Neill:

"Oremos para que o idiota só muito raramente se sinta feliz.
Também, coitado, há-de ter, volta e meia, que sentir-se qualquer coisa."

um estranho disse...

Com este comentário da Aleisa já nem preciso de dizer mais nada, está tudo dito. E bem. Sempre ouvi dizer que as mulheres do Norte têm o sangue no sitio. Aqui está um exemplo.


Continua a escrever textos bonitos João!

E bem vindo, apesar do ar da montanha ser substancialmente melhor que este.

nascitura disse...

venho aqui desabafar
nesta tua vertigem
e
olha
vou de verbo em verbo
agarro-me
apanho-me
seguro-me

A.P. disse...

Desculpem lá a minha ignorância, mas quem é esse tal e Sr. Galvão? Pelos comentários, alguém que nem sequer merece ser (re)conhecido.
Bom, mas pelo que pude perceber, só me resta dizer:
Força J.! Força Q.! Nós gostamos de vocês e queremos que continuem a brindar-nos com os vossos geniais desabafos.

blue note disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Bombokita disse...

Olha, sabes que mais... A palavras tontas, orelhas moucas...

Nós sabemos quem tu és e qual a tua posição na vida!!!

Obrigada pela tua simplicidade, pela tua transparência e por tu e o teu Quase existirem...

Continua... sempre... pois os cães ladram e caravana passa!

Como diz uma amiga minha "DEIXÁ-LOS FALADRAR QUE ELES CALARÃO-SE-ÃO-ÃO"

1 BEIJO
:)

mni disse...

Não tive oportunidade de ler o tal «malmalvão». Ao que paparece não memerece cocomentário! Enfim!

Beijo, João.
Gosto de ti. Muito.
mni

mcps, claro! Até!

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Entendo perfeitamente a revolta que sentiu aqui, já a vivi, mas peço-lhe, não deixe que sejam estes tipos de frieza em forma de gente que vençam....Por favor, lute para que a sensibilidade e a beleza tenham pódio...nem que seja, só por aqui...na blogesfera.
Bj

nascitura disse...

sabes o que eu te digo:
joão,
és boa gente!

Pedaços de mim disse...

Ola Joao, meu querido amigo, hoje pensei em ti mais uma vez, enquanto ia de carro e ia a ouvir as tuas musicas que tanto gosto e me fazem companhia,
Hoje era um bom dia para vires jantar connosco no refugio da Serra.
E passei aqui para to disser,
Um beijo

Mariana Matos disse...

Chego Tarde. Entretida em lides laborais, deixei passar, mais um "Galvão" entre os "gaviões". Para esses o meu desprezo absoluto. Para ti, um beijinho. É sempre bom voltar a reler-te! :)

Noite disse...

Olá, João!
Seria indicado comentar no post "ali de cima", de 16 de Março, mas uma vez que não abriste comentários naquele, comento aqui. E comento para dizer que vivo em Macau, onde vi o concerto da Fortaleza do Monte, que adorei. Não poderia ter resultado melhor, a conjugação com a Orquestra Chinesa de Macau. Sublime, a sonoridade, o encontro entre culturas. De facto, na música não há fronteiras - foi perfeito! Tão perfeito, que nem a chuva se atreveu a estragar!
(o Nuno a cantar em Mandarim foi de Mestre! ;) )
Gostei muito! Voltem sempre! Precisamos de bons espectáculos, assim!

Ana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Mariana Matos disse...

João,
Vais deixar o blog sem comments?

kati disse...

Descobri-te sacana!!

Mas afinal..............quem é a Clarisse???????????????? :))))

beijinho da C.G

www.fotolog.com/catarinagrilo