sexta-feira, agosto 04, 2006

4 de Agosto





Meu Querido Amigo

No dia 4 Agosto
há trinta anos atrás
na formosa e algo ventosa
Vila de Sagres,
por dias e noites nunca navegados
em areias da mareta,
deu-se luz no nosso pequeno mundo
de putos curiosos e insubmissos.
Surgia o Trovante!
Aquele nosso irmão que se foi tornando
na figura basilar e tutelar na nossa existência
familiar e quase diária.
Agora, depois destes anos todos,
encontro tantas semelhanças entre vocês os dois...

Os teus comentários rareiam sob a espuma,
Insinuas-te, fechas-te.
Porém adivinho os teus passos,
pressinto as tuas ideias.
Era precisamente o que sentíamos
com o nosso irmão Trovante.
Ele estava sempre presente e
o que dele vinha, decidia-nos.
Ele queria o nosso melhor,
E nós sacralizávamos a ideia Dele todo poderoso.
Acima de nós
Quase Deus
Como tu Deus Quase

8 comentários:

filomena disse...

Eternamente Trovante.

Beijinhos

azoriana disse...

É Domingo. Da minha sala vejo o mundo dentro de duas caixas: a televisão e o computador. De repente a televisão ressalta à vista e ouço, em repetição, com a revolta (aroma) dos pastéis de nata, o falar de João Gil... Parei e ouvi. Gostei porque as suas palavras tinham uma magia emotiva. Segui o meu impulso e pesquisei "João Gil" e vim aqui parar.
Vou adicionar aos meus favoritos porque é uma boa referência. Parabéns pela sua boa intervenção no programa televiso do Borges que gostei de ver e ouvir. Quem sabe se numa pausa do seu cantar me visita neste mundo virtual.
Um abraço terceirense

mni disse...

DESDE-ATÉ: os Trovante do meu contentamento!

Beijo,João.

Alex disse...

São vocês? São mesmo não é? :))))

LINDO TEXTO JOÃO.

As partituras já estão em livro.
Um dia destes, ainda alguém se lembra de pegar nos teus Desabafos e reuni-los num livro fantástico, tipo Memórias de Papel. Já imaginaste?

A.P. disse...

Boa ideia, alex... Nunca tinha pensado nisso. Dava um belo exemplo de boa literatura.
Fico, pensando... nisso...

P.S. - Desde sempre tenho acompanhado o teu irmão Trovante. Esteve e estará sempre comigo. Obrigado por isso.

Salomé disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Salomé disse...

Que saudades.
Ficaremos sempre com a sensação a pouco (agarramo-nos ao vinil)... os grandes grupos deviam acabar tarde.
Som a Verão, a fresco, a crescimento, a primeira história de amor, a estrada, a uma viagem a sós e a dois, ao entardecer, às pessoas (ao Povo), ao bater do coração, à Costa, ao Interior, ao Alentejo e as Beiras,a Lisboa, a sangria (nham, nham, nham), a tertúlia, aos amigos, aos bons poemas, ao bom ritmo... e agora vou-me calar porque já pareço um anúncio da tmn ou da sagres! A verdade é que Trovante rima com as minhas melhores sensações.
Já viste o que me sugere o teu irmão Trovante? Memória.
Parabéns pelos 30 ;-)

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

"chão nosso" 30 anos...Parabéns!

E Obrigada. Os Trovante fizeram muito pela música nacional.
Tenho saudades!
Mas a vida é mesmo assim, com ciclos que se fecham para darem inicio a outros. Os ciclos de agora também aprecio...mas há frases que se não esquecem....
E aquela frase:

"Alto e bom som havia a raiva de rir"