domingo, outubro 01, 2006

Musica







Caro João

Escrevo-te hoje dum sítio
que te faria elevar até ao mais ténue
dos ruídos do mundo...
Escrevo-te sentado numa longa cadeira
que muito embora dificulte a escrita, aguça o mais pertinente dos sons da alma escondida ainda por revelar.
Imagina que a vista que tenho daqui, é como a de um fiozinho de água brincando às escondidas, na impossível tarefa de apanhar a sua própria cauda comprida e longa.
Lá vai, seguindo o destino inevitável
das coisas que não voltam nunca.
As ladeiras do tempo subiram até cá, escarpando as encostas até ao fundo do fundo.
Tenho saudades de pescar contigo,
tirar uns robalos à sua própria curiosidade.
Pecados pequenos os nossos.
Mas não te esqueças,
Dá-te com as pessoas.
Dá-te com o mar.
Dá-te com a chuva.
Escuta.
Ouve bem e toca o céu.
Isso é a musica.
Aqui neste magma onde me encontro,
só vejo os que me vêm.
Não te distraias.

O meu abraço.

Q.

6 comentários:

CL disse...

Numa tarde que se tornou melancólica, esta foi a banda sonora ideal. Obrigada!

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Estava mesmo a precisar de ouvir esses sons, essa música. Obrigada.
Beijo e boa semana!

Alex disse...

Linda!

e ouve-se perfeitamente a musica.

A. disse...

"...um tom ou alguma coisa a existir.a crescer,a viver....um som a existir muito.um segredo profundo.a vida condensada e repetida.um momento sem certeza
de poder sobreviver..."

Mariana Matos disse...

boa fotografia.

Oumun disse...

Hmm, que saudades do Q!!