domingo, setembro 11, 2005

A 1ª bomba

Neste calmo dia de missa, numa tarde como outra qualquer de um domingo plácido,
somos nós, os animais pacatos que bebem a água do seu rio, sem atenção especial, aos predadores que, do outro lado da margem, aguardam a sua hora, à espera do momento da nossa distracção - o ataque inesperado - o repasto - o festim...

Uma data.
Uma bomba e muitas vítimas inocentes.
A 1ª bomba de muitas.
Uma espécie de abertura de hostilidades.

Muitas coisas acontecerão nesta data, mas este dia maldito, marcará as nossas e as outras vidas.
Que este dia não inicie um período negro da nossa existência colectiva.
O princípio do início da perda das nossas liberdades fundamentais.
Muita coisa errada se pode fazer em nome de um "Deus" qualquer.
Infelizmente, já conhecemos esse filme.

Nunca nos podemos alhear que, transportamos nos ossos, a ideia de um ser vivo, que se organizou em sociedade,
e.... até inventou,...... as Nações Unidas, para além da.... tourada.

1 comentário:

Ana disse...

joão, o dia 11 de setembro vai marcar para sempre todas as pessoas deste pequenino planeta em que vivemos.foi demasiado brutal e até inesperado... nao sei se inesperado!!! Acho que todos somos um pouco responsáveis por tudo que acontece neste mundo. Seja de que maneira for, todos cá vivemos, trabalhamos, tomamos decisões e fazemos parte do que se pode chamar o "mundo". Logo aí também somos um pouco responsáveis por tudo de bom e de mau que acontece.Nao nos podemos alhear de tudo. Cada um de nós tem a função de fazer com que o "nosso" mundo seja melhor. Nem que seja apenas dentro da nossa casa, com os nossos amigos, com a nossa familia.Por isso, devemos dar o nosso contributo e tentar...fazer com que o mundo seja melhor. Às vezes basta um sorriso...
ps.presumo que és contra as touradas, correcto???