terça-feira, setembro 27, 2005

A primavera

" Enquanto tu e eu
Tivermos lábios ou vozes
Que servem para beijar
E cantar
Que importa
Que um qualquer filho da mãe
Invente um instrumento
Que sirva para medir
A primavera "

E.E.Cummings



Abbas Kiarostami


Nada como enfrentar o outuno e o inverno rigoroso que aí vêm,
na ideia que o verão é uma exaustão de primavera.

Andamos por aí , de Filarmónica às costas, apregoando sufocos...
Nas algemas da liberdade.

9 comentários:

UnaRagazza disse...

A ideia de uma voz que beija é simplesmente sublime...

"na ideia que"... auto-convecimento?

apregoando sufocos; algemas da liberdade... adoráveis pardoxos...
Bela maneira de empregar as palavras.

Beijos*

UnaRagazza disse...

errata: pardoxos = paradoxos (obviamente:)

um estranho disse...

Ola João.

Uma pergunta a puxar para o "reparo":

- Merece mais um feed back teu alguem que te corrige um hipotetico erro;

ou

- Aqueles que te acompanham diariamente, que lêm os teus desabafos "desinteressadamente" sem intenções de voluntariado, que te seguem os pensamentos e tentam conhecer-te aos poucos e te respeitam pelo grande musico que és, pela tua luta na musica nacional e que todas as noites se lembram de ti e te vêm procurar?

João Gil disse...

Olá Alex e restantes vasos comunicantes.
Para te ser sincero, encontro-me em feedbackismo constante e constantino.
Por vezes, dão-me conta de erros que , apressadamente tento corrigir,por razões evidentes.
Compreendo o teu reparo.
Os postamentos deixados aqui, são por si, só e apenas por sí,autónomos pensamentos...
Comunicamos sensitivamente, reparando outro tipo de reparos.
Não precisavas...

Nunca me esqueço de titodos.

um estranho disse...

Realmente não precisava.

É a corda bamba que às vezes nos retira equilibrio sabes, sai-me tudo pela boca nestas alturas, neste caso foi pela ponta dos dedos.

Mas tens razão, não precisava de ter manifestado o meu desagrado pela correcção automática a um erro que, também ele, saiu de um desabafo, daqueles teus desabafos que tambem saem pela ponta dos dedos e nesses dias nem há tempo para ver erros.

Um abraço João.

João Gil disse...

outro Alex

Salomé disse...

Sempre gostei do e.e.cummigs. Saboreia-se devagar, quase letra a letra. Muito bom. Boa escolha. Mas (e em tom de provocação) sabes que ele assinava o nome com minúsculas? Uma escolha criativa, não há dúvida. Tal como a escolha (pensada, racional) das maiúsculas nos poemas. Uma tomada de posição. A liberdade. A dele.

Marinero en Tierra disse...

Numa dessas deambulações, as algemas foram libertadas em Arouca. Nesse concerto, embora eu tenha estado ausente durante todo o processo de "construção", pude ter a honra de tocar na primeira parte. E não só. Pude ter a honra de partilhar alguns momentos e uma breve conversa com o pessoal da Filarmónica. Pessoas como nós. Acolhedoras. Simples. Músicos dos pés à cabeça. Obrigado por terem partilhado connosco. Espero que nos possamos ver por aí. Ou por aqui. Aquele abraço, de quem já muito vos admirava da plateia e vos passou a admirar dos bastidores. Ao João, em especial.

Gil disse...

meu nome é joao gil tambem, se acaso quiser manter contato meu e mail é gilschool@hotmail.com