sexta-feira, dezembro 23, 2005

Zona G

Olá meu diário G:


A zona gástrica demonstra ser a mais dominante e complexa do intestino cujo.
Toda a nossa vida é regimentada pela alimentação.
Que merda!
Animais fingidos de petulâncias várias que aparentam não ter fome.
Coitadinhos de nós.

Sempre que posso, mergulho num qualquer prato que justifique o pretexto do azeite.
Uns singelos salmonetes, são muitas vezes, o ponto de partida
para uma ideia tão original, como a existência do universo.
O carbono com o pão azeitado, os legumes cozidos, aconchegam a batata esquecida da sua fase clerasil.
Dantes pensava que as pessoas chegavam tarde ao início do teatro por motivos de exposição no hall de entrada.
Não, tudo se prende com o atravancamento da hora de jantar.
O País de Portugal tem um G de gastro, tem uma zona de prazer, que está perto do seu intestino, a nossa tripa colectiva.
Não elevamos o nosso espírito no estado de vazio G.

O povo com os seus penteados cheirosos vai à revista num sábado à noite... de barriga vazia?
Nunca!
Jamais!
A piadinha fácil nem se levanta nem se ri, mesmo que à velocidade foda-se.

S.Carlos, noite fria em dia de estreia, um perfume suave e envolvente sai do pescoço mesmo à minha frente.
Meto uma pastilha elástica e, disfarço... a fome.
Será que conseguimos apreciar alguma coisa assim, vazios e esburacados que nem passe vites?

Por exemplo e sem ofensa:

Mário Soares: Cozido à Portuguesa bem servido e farto só de ver.
Cavaco Silva: Cataplana de Cherne descongelado no micro-ondas.
Manuel Alegre: Iscas à Portuguesa, enjoativas e demasiado grossas.
Jerónimo de Sousa: Ensopado de Borrego com batatas a mais.
Francisco Louçã: Perdiz estufada à Seminarista com batatas e ervilhas armadas ao pingarelho.

Por vezes, ouço-os ao longe, todos eles, muito bem sentados na sua própria voz.
Fará sentido?

Cá para mim, farei um arrozinho de cabrito com míscaros,
e convidarei o excelente e competente Garcia Pereira, para ouvir de sua justiça, isto porque os canais de TV, decidiram cozinhar numa panelinha, onde apenas se cozem os pratos institucionais de apenas cinco sabores.

O incrível, é que a maior parte das pessoas com má digestão, somatiza e manda tudo lá para baixo, adquirindo
azias, úlceras e coisas do género, tendo um péssimo acordar, e claro,
um feitio de trampa... até comerem algo açucarado.

Que pena!

6 comentários:

abox disse...

ama muito... hoje e sempre! FELIZ NATAL! :)

um estranho disse...

A minha especialidade é mais a avestruz.





É Natal João ...

nascitura disse...

então vais ter de convidar mais alguns, são 11 no total...os candidatos.

e porque eu AINDA acredito, se quiseres dar-me a mão, vem...e traz um amigo também!

joão disse...

Então pá?
Isso é por a salsicha andar tão emotiva!As fomes,ai as fomes!
A minha é igualzinha,ehehe!
Abraço e Boas festas Tio!

Mariana Matos disse...

Boas Festas!

Bárbara Vale-Frias disse...

Boas Festas. Que a noite de Natal tenha sido feliz e que a alegria e o convívio de hoje ajude a prolongar, por todo o 2006, estes sentimentos cristalinos que se apoderam de nós no Natal.

Bjs da Cokas